terça-feira , 16 outubro 2018
Home / Cidades / Em Manaus, dados da SSP-AM mostram avanço no combate à criminalidade
Anuncie Aqui!

Em Manaus, dados da SSP-AM mostram avanço no combate à criminalidade

Levantamento da SSP-AM mostra que houve redução em índices como o de homicídios e roubos no primeiro trimestre na comparação com anos anteriores (Foto: Divulgação/SSP-AM)

Em Manaus, os dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) referentes ao primeiro trimestre deste ano mostram um avanço no combate à criminalidade na comparação com os últimos quatro anos. Conforme levantamento da SSP-AM, considerando sempre os primeiros trimestres de 2014 a 2018, houve melhoria nos índices de homicídios, roubos, apreensões de armas de fogo, entre outros.

Entre janeiro e março de 2018, o número de homicídios na capital amazonense caiu 15,5% na comparação com a média de 2014 a 2017. Foram registrados pela SSP 184 casos este ano, contra 218 da média dos últimos anos.

O comparativo ano a ano, inclusive, revela que os registros de homicídios deste ano são os menores desde 2014. Os dados são do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), desenvolvido com o objetivo de auxiliar os órgãos de segurança pública a atenderem as demandas da população quanto à necessidade de assistência e segurança pública, de uma maneira integrada e coordenada.

Desde outubro de 2017, com o início da gestão do governador Amazonino Mendes e a condução da área de segurança pelo vice-governador Bosco Saraiva, houve a substituição de 269 viaturas na capital e interior, a reimplantação do patrulhamento comunitário em bairros das zonas norte, leste e centro-sul, além do fortalecimento das operações integradas na capital e interior. Saraiva deixou o comando da SSP em abril.

Força-tarefa é criada para reduzir casos insolúveis

Na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), uma força-tarefa com reforço de investigadores e delegados foi criada para dar celeridade às investigações e resolução de casos.

Para o novo titular da SSP, coronel da Polícia Militar, Anézio Paiva, a redução em diversos indicadores de criminalidade reflete as mudanças de estratégia da gestão. “Conseguimos interromper uma sequência de crescimento dos indicadores criminais e de mortes violentas a partir de um trabalho integrado entre a inteligência, a investigação e a polícia nas ruas, com a setorização das viaturas de forma a aumentar a presença policial. Aliado a esse trabalho, houve a renovação de parte da frota de viaturas, melhorias técnicas, aumento das delegacias funcionando em regime de plantão e, principalmente, a otimização dos nossos recursos, colocando nas ruas equipamentos que antes estavam subutilizados”, enfatizou Paiva.

Para o delegado titular da DEHS, Jeff David Mac Donald, a melhoria dos índices é resultado das diferentes formas de atuações do Estado. “Vem de um conjunto de atividades sociais por parte do governo e atividades em segurança, como as estratégias de combate à criminalidade usando as manchas criminais. Isso reflete diretamente na inibição de crimes de homicídio”, afirmou.

Outro ponto determinante para o avanço do combate à criminalidade, segundo o delegado, foram as estratégias de ação ostensiva executadas pela polícia. “Com a prisão de mandantes de vários crimes, consequentemente se reduzem as ordens de execuções, normalmente relacionadas ao tráfico de drogas”, disse.

Redução nas tentativas de homicídios é registrada

Neste início de ano, também houve queda nos números de tentativas de homicídios. Nos primeiros três meses de 2018 foram 43 registros, contra 92 da média registrada de 2014 a 2017. A queda, em percentuais, é de 53%.

Outros índices que apresentaram avanços neste ano são o de lesão corporal e o de roubo seguido de morte, o chamado latrocínio.

No primeiro caso, de lesão corporal, os indicadores apontam para 1.858 registros nos primeiros três meses de 2018. Se comparados com a média de 2014 a 2017, houve queda de 15,5% – foram 2,2 mil registros nos últimos anos.

No caso dos latrocínios, os registros apontam para uma queda de 11,8%. Em 2018, foram 13 registros de janeiro a março, muito próximo da média de 2014 a 2017, de 15 casos.

Além das quedas nos índices de homicídios, tentativas de homicídios, lesões corporais e latrocínios, os dados do Sistema Integrado de Segurança Pública revelam queda de 1,1% nos casos de estupro e aumento de 50,5% nas apreensões de armas de fogo.

*Com informações da assessoria

Comentários no Facebook

Veja Também

Centec promove serviços gratuitos à comunidade no ‘Outubro Rosa’

  Manaus/AM – Para fortalecer as ações de prevenção do câncer de mama e conscientizar ...

High Risk Merchant Account