terça-feira , 13 novembro 2018
Home / Cidades / Polícia / ‘Não sei como arma disparou’, declara homem que matou esposa grávida em Manaus
Anuncie Aqui!

‘Não sei como arma disparou’, declara homem que matou esposa grávida em Manaus

Robson foi preso acusado de matar a esposa grávida (Foto: Mário Souza/DM)

Manaus/AM – “Não queria matá-la. Foi um acidente, não sei como arma disparou”. Foram com essas palavras e chorando que o ajudante de pedreiro Robson Nascimento da Silva Araújo, 24, defendeu-se durante coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (12), no prédio da Delegacia Geral da Polícia Civil do Amazonas. Ele foi preso suspeito de assassinar a esposa dele, Jociquele Araújo Pereira, 28, que estava grávida do segundo filho do casal.

De acordo com o delegado Bruno Fraga, titular do 26º Distrito Integrado de Polícia (DIP), a prisão foi realizada por policiais militares da 12ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), após uma denúncia anônima. Ele estava escondido em uma casa na comunidade Mundo Novo, bairro Flores, Zona Centro-Sul de Manaus. O crime ocorreu na noite de quarta-feira (10), no conjunto Viver Melhor, bairro Lago Azul, na Zona Norte da capital.

Inicialmente, a polícia trabalhava que a vítima teria reagido a um assalto. Jociquele estava na frente da casa em que morava, por volta das 19h, quando dois homens em uma motocicleta aproximaram-se e anunciaram o assalto. Após as investigações avançarem, Robson passou a ser o principal suspeito do feminícidio.

“Após o crime, Robson fugiu e desfez-se da arma. A notícia da morte repercutiu e a PM recebeu denúncia anônima e conseguiu prendê-lo”, disse o delegado Bruno Fraga.

Em depoimento, Robson apresentou versões contraditórias, mas confessou a autoria durante uma discussão. O casal mantinha um relacionamento há três anos, mas com histórico de agressões do suspeito, conforme relatos de familiares e vizinhos da área. Apesar disso, Robson não tinha antecedentes criminais.

Crime

Jociquele foi baleada no tórax dentro da casa em que morava com o Robson e filho do casal, na comunidade Acará. Ela ainda foi socorrida e levada ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Enfermeira Eliameme Rodrigues Mady, conhecido como ‘Galiléia’, mas resistiu ao ferimento.

Robson relatou que estava discutindo com a esposa. Ao sair do banheiro, Jociquele teria empurrado a porta na direção dele provocando o tiro acidental de um revólver. Questionado, Robson não soube explicar o motivo pelo qual a arma estava na sua mão, porém disse que apenas guardava o armamento.

“Robson não consegue justificar porque segurava a arma e nem para quem ele guardava. Estamos trabalhando para encontrar o revólver e tirar de circulação”, explicou o delegado Bruno Fraga.

Durante a coletiva de imprensa, Robson chorou. Ele argumentou que não pretendia matar a esposa e que o tiro foi acidental.

“Ela sai do banheiro e empurrou a porta em cima de mim. Em seguida, eu só escutei pá. Depois ela colocou a mão no peito e disse: ‘aí Robson’ e vi o buraco no peito dela. Eu não queria matar a mãe da filhinha que tem 11 meses. Não sei como a arma disparou”, declarou.

Robson responderá pelo crime de feminicídio, com pena prevista de 12 a 30 anos de prisão. Caso seja condenado na audiência de custódia, ele terá a pena aumentada em mais um terço pelo fato da esposa está grávida. A vítima estava com três meses de gestação e esperava o segundo filho do casal.

Comentários no Facebook

Veja Também

Caseiro é preso por estuprar filha dos patrões em comunidade na Zona Oeste de Manaus

  Manaus/AM – Um caseiro de 35 anos foi preso pela polícia na tarde desta ...

Website Design Company in BangladeshHigh Risk Solutions Merchant Account Services